Amar. Um caminho.

Outro dia, li uma citação da Marianne Williamson, autora do livro “Um retorno ao Amor”,  que me chamou atenção. Ela dizia que “Nós não somos detidos pelo amor que não recebemos no passado, mas pelo amor que não estamos dando no presente.”

Frases como esta inspiram. A gente tem vontade de repetir entre os amigos ou copiar nas redes sociais. Mas, na prática, percebo o quanto é difícil para as pessoas se desvencilharem da frustração e da decepção causadas por causa de um amor que não receberam no passado.

 Então, quando você escuta que é preciso dar hoje o amor que não recebeu no passado, uma sensação ruim aparece – afinal, você não encontra em si este amor. Mas Marianne tem razão. É o amor que não expressamos hoje que nos prende, e não o amor que não nos foi dado. Hoje, precisamos superar a falta do passado pra criar o mundo que desejamos. Mas como fazer isso se nos sentimos tão carentes daquilo que precisamos produzir em nós?

 Coragem e disposição são necessários para enfrentar o medo e a dor da auto-descoberta.

 

Para aqueles que chegaram nesse estágio de consciência em que sabem que se sentem carente de amor e que deveriam amar mais a si mesmo e concretizar, como diria Gandhi, “a mudança”, mas não sabem como alcançar seu objetivo estendo minhas mãos e ofereço meu encorajamento. Pois para percorrer o caminho os requisitos básicos são coragem e disposição. Coragem para de deixar o medo de lado e disposição para olhar para si, pois não é um processo indolor.

O medo da dor é um dos primeiros e maiores obstáculos enfrentamos para, antes de tudo, iniciarmos o processo de auto-descoberta e auto aceitação. A auto-aceitação é o segundo passo. O medo da dor pode ser maior do que a dor em si, mas ele assoberba e paralisa. Geralmente a vida nos prepara para iniciar esse processo através dos revezes, obstáculos e situações difíceis que se apresentam. Há momentos em que gente chega a ‘apanhar’ tanto, tanto que chega num ponto em que não há outra saída a não ser encarar aquilo que tememos. Muitas vezes – como se diz por aí: “o que não me mata me fortalece” – esses revezes que a vida nos traz atuam como instrumentos eficientíssimos que nos fortalecem e nos trazem a segurança e certeza de que iremos sobreviver ao que for, inclusive aos nossos próprios medos. A partir daí, criamos a coragem e a disposição para olhar para dentro.

 

Amando o próximo e amando si mesmo 

 

Uma vez dispostos, precisamos lançar mão de alguns instrumentos como aaceitação e compaixão. Sim, a educação religiosa ou espiritual (dependendo de foco que é dado) pela qual muitos passam no processo de diminuir a sua dor pode tornar-se muito útil nesse momento, caso ela tenha sido usada como um instrumento que educa a mente e o coração para ter compaixão. Compaixãopelos outros, e compaixão por si, pois como diria o ensinamento bíblico “amai o próximo como a si mesmo”. O amor a si, que todos estão buscando encontrar nesse momento, é instrumento indispensável para o fim a que se propõe: amar o próximo. Esse é o momento da compaixão e aceitação. Ser capaz de olhar para dentro, ver suas carências e faltas e ficar com elas, sem julga-las requer uma boa dose de compaixão e aceitação que muitas vezes são aprendidas ao lidarmos com pessoas que muito amamos e que nos trazem dificuldades.

Só a partir dessa disposição compassiva de si mesmo você é capaz de começar um trabalho real de investigação de si pois poderá derrubar as barreiras inconscientes que você mesmo criou para não encarar a si. Poderá entrar em contato com as crenças inconscientes que carrega dentro de si desde cedo. Crenças que interferem com seus desejos conscientes sejam eles relativos à vida profissional, afetiva, financeira, familiar, em relação à saúde ou qualquer outro aspecto de sua vida. É o momento de trazer a sombra à luz. Com paciência, compaixão e disposição. A paciência entra em cena, pois há vários aspectos desconhecidos que precisam vir à tona e um por um, eles levam a um aprofundamento do conhecimento de si. Pode-se encontrar aspectos sombrios de si, lutos não completados que terão de ser encarados e completados nesse momento, por isso, a paciência e compaixão consigo próprio são fundamentais. É o momento de insights valiosíssimos e libertadores que trazem muito alívio ealegria.

Resgatando a alegria e a confiança

 

É também o momento de entrar em contato com a criança interior ferida. Você, a partir do seu lado adulto e consciente é capaz de voltar e se reencontrar com a criança que fora e confortá-la e orientá-la naquilo que for preciso, pois hoje tem essa capacidade adulta em si. O reencontro com a criança interior, ouví-la, atendê-la e confortá-la a partir da sua porção adulta e assegurá-la de sua companhia durante toda a existência o fortalece. A criança interior confortada e reconhecida é então liberada pra trazer alegria para sua vida, seus aspectos infantis podem vir a tona e fazer parte da sua personalidade. A sua criança interior será sempre a sua companheira e cura-la  e reconhecer sua importância traz a alegria, inocência, pureza, curiosidade de volta para a  sua vida e faz com que você caminhe mais forte e confiante da sua capacidade de se auto-confortar a partir do seu lado adulto.

Uma vez ingressado no caminho do autoconhecimento, a você passa a se dispor a questionar todas as suas idéias sobre o mundo, percebendo que são elas, seus pensamentos a respeito daquilo que a cerca, as histórias que conta sobre si mesmo e sobre o mundo, que lhe trazem felicidade ou tristeza. A partir daí passa a fazer o exercício de se questionar diante daquilo que lhe é apresentando: É mesmo verdade? O que seria de mim se eu não pensasse isso? Você passa a enxergar a realidade como ela de fato é, aceitando-a; passa a enxergar as pessoas como de fato são, aceitando-as; passa a enxergar seus pensamentos como de fato são, aceitando-os e questionando-os, o que lhe permite escolher diferente. Você pára de não se conformar com o mundo e com como as coisas são. Você não deixa de desejar o que deseja ou de ter determinadas opiniões ou preferências, mas passa a compreender que são apenas suas preferências em um mundo repleto de possibilidades. Há maior respeito por si próprio e maior respeito pelo próximo, você passa a ser mais livre e a promover maior liberdade ao próximo. Você aprende a dizer SiM quando quer dizer sim, e não quando quer dizer não. A necessidade de autoafirmacao e aprovação diminuem.

 Encontrando um mundo de possibilidades

 

Quando você está em contato com a realidade e a aceita, você torna-se mais livre e pode promover a liberdade.  Quando você está em contato com seus desejos e crenças mais intimas você passa a ter condições de se transformar, renovar, transmutar, reinventar e renascer. Tudo isso a  partir de um ponto de clareza. Nesse momento, se os pensamentos ou sentimentos negativos de menos valia ou o que for vierem à tona, você é capaz de reconhecê-los, aceitá-los, compreendê-los, acolhe-los cuidando deles  e escolher diferente, criando, assim, a realidade que deseja em torno de si.

Suas crenças em relação aos diferentes âmbitos da sua vida podem agora ser mudadas de acordo com seus desejos conscientes dos quais você torna-se finalmente dono. Sua vida profissional pode mudar, se assim o queira, sua vida financeira pode dar uma guinada, se isso for mais condizente com sua nova visão de si, sua vida amorosa pode finalmente ter o destino que deseja para si, já liberto de crenças internas não condizentes com você, o mesmo vale para todas as áreas da sua vida em que a realidade não esteja se manifestando da maneira que gostaria.

Você se abre para um mundo de possibilidades ciente de que há mais por vir, um mundo repleto de bondade, amor e possibilidades muito além da sua imaginação e você se abre para receber toda essa fartura em sua vida. Você se torna um recipiente para tudo aquilo que há de melhor no mudo porque faz essa escolha conscientemente. Enfim, você fica livre para co-criar com o universo se utilizando varias técnicas para esse fim. É claro que toda essa possibilidade causa medo, todo esse desconhecido… mas aí já deixamos para um outro post… ;)

 

 

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Do desamor a um mundo de possibilidades

Do desamor a um mundo de possibilidades.

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Amar é melhor do que estar certo

“As pessoas não são seus comportamentos.” – Anthony Robbins

As pessoas estão em uma jornada. Onde estão agora não é onde vão chegar. Quem são agora não é quem vão se tornar.

Não cabe a nós julgá-las quando não estão no seu melhor, mas amá-las até que cheguem lá.

Aquilo que somos tentados a julgar nos outros é exatamente o que gostaríamos que perdoassem em nós quando não estamos em nosso melhor.

Se fossemos amar e aceitar uns aos outros apenas quando nossos ‘padrões’ estão sendo satisfeitos, não estaríamos amando verdadeira e incondicionalmente, estaríamos?

E não é esse o tipo de amor e aceitação que desejamos para nós?

Da próxima vez que for julgar alguém, pense nisso. Como disse o nazareno: “Sereis julgado na medida em que julgardes.”E ele dizia a Verdade.

 

- Camila Goldstein

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Ajustando a diferença entre a percepção e a realidade e levando a paz aos relacionamentos

“Você tem o seu caminho. Eu tenho o meu caminho. Quanto ao caminho certo, o caminho correto, e o único caminho, isso não existe. “~ Friedrich Nietzsche

 

Quantas vezes não enxergamos as coisas neutras como certas ou erradas, boas ou ruins, de acordo com nossa própria reação e acabamos culpando ou julgando os outros simplesmente porque não são condizentes com nossos próprios padrões? Quando estamos presos em nossos próprios egos, nos esquecemos de distinguir entre a realidade e a nossa própria percepção e incorremos no erro de interpretar a primeira erroneamente, o que é, sem dúvida, receita para desastre.

Confúncio disse: “Chamar as coisas pelo seu próprio nome é o princípio da sabedoria.” Pois bem, fazer isso tem a ver com enxergar e expressar a diferença entre a realidade e a percepção.

Da próxima vez que você se pegar impondo o seu ponto de vista a algo ou alguém, pare e tente chamar as coisas pelo que elas são. O que pode ser importante para o outro, pode não ser importante para você e vice-versa. É um ato de generosidade e respeito permitir que o outro tenha sua própria opinião das coisas e aja de acordo com ela sem precisar se submeter às suas preferências, além do que, gera mais paz – pra você, inclusive.

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Permaneça conectado com quem voce é!

O que isso significa?

Significa lembrar que em seu centro você é amor, abundância e alegria. Você veio aqui não para ser carente e receber, mas para ser completo e dar-se de presente para o mundo a partir desse lugar de completude.

Quando você se lembra quem você é, o desejo de perseguir, compreender e ir atrás param.

A mente cheia de medo se acalma e a mente cheia de Fé emerge.

Quando você se lembra quem você realmente é, você se cerca de pessoas amorosas. Você se aquece na comunhão de Amor e não mais aceita ou tolera abusos e ódio.

Você deixa de julgar os outros e em vez disso mantém seus olhos no Amor e em purificar seus próprios desejos e intenções.

Quando você se lembra quem você é, você é atraente para aqueles que acreditam no que você acredita. Você não vê a rejeição como algo ruim, mas como um dispositivo de triagem que mantém as parcerias não saudáveis longe de você. Você encontra o amor, naturalmente e sem esforço, porque você já o manifesta.

Quando você se lembra de quem você é, a vida deixa de ser difícil e se transforma em uma aventura na qual você mal pode esperar para embarcar. ~Mastin Kipp

Deixe um comentário

Arquivado em Cuidar da mente

A minha vez de fazer o que eu falo

Oi pessoal! Eu sei que tenho estado meio “ausente” por aqui. Acontece que nesse meio da “auto ajuda” a gente fala muita coisa, tem muito conhecimento mas colocar em prática que é bom… deixamos a desejar. Eu acho. E me peguei tendo a necessidade de me recolher um pouco e dar mais ênfase no meu próprio processo de auto conhecimento e transformação, esse mesmo que incentivo vocês a seguirem.

Pra mim isso tem significado olhar pra dentro com mais compaixão, paciência e uma curiosidade autêntica para descobrir/ desvelar os processos e padrões que estão atuando e lidar com eles, transformando-os caso sinta necessidade. Nesse processo, tenho empregado transformações que vão desde a maneira como trato meu corpo/ saúde/ alimentação/ exercícios, passando pela minha forma de pensar e enxergar o mundo, as formas de me relacionar com as coisas e pessoas – Ah os relacionamentos! -  e maneira como lido com a espiritualidade. É impressionante como a vida nos traz oportunidades de exercitarmos aquilo que em que acreditamos – e pregamos! – e cumprirmos com nossos propósitos. Claro que, na maioria das vezes, essas oportunidades vêm ‘disfarçadas’ e nem um pouco atraentes mas, vale a pena encará-las. Afinal, o objetivo é viver de forma autêntica, vivenciando os valores e princípios que nos são caros – para além de simplesmente falar sobre eles.

Espero que vocês também estejam aproveitando as oportunidades que a vida lhes apresenta para trabalharem em si mesmos e porem em prática tudo aquilo em que acreditam.

Há algum valor em especial que você gostaria de experienciar/ vivenciar na sua vida e que não tem conseguido colocar em prática? A hora é agora! Vamos juntos!

Fique bem! Paz e bençãos!

 

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

O mal tempo se foi. A luz pede passagem.

Para além do mau tempo, sempre existe o céu azul. Inevitavelmente, quando as nuvens se dissipam, voltamos a sentir o calor e luz do sol. Não é preciso “ligá-lo”, ele sempre esteve lá escondido atrás das nuvens.

O mesmo acontece com você.

A sua luz sempre esteve lá.

O seu amor sempre esteve lá.

A sua paz sempre esteve lá.

A sua alegria sempre esteve lá.

A sua abundância sempre esteve lá.

Eram as nuvens de seus medos, pensamentos e limitações do ego que bloqueavam sua visão. Que os ventos da transformação que o novo paradigma traz dissipem as nuvens que o impediram de desfrutar  a sua mais elevada versão de si mesmo e que você possa, enfim, reconhecer e experimentar a  totalidade e magnificência de sua luz.

Que a sua intenção de vivenciar  e explorar o seu potencial mais elevado seja reforçada neste momento e, a partir dela, você possa firmar um compromisso com esse seu novo ideal. Que o seu compromisso o lembre de focar sempre naquilo que realmente importa frente aos seus valores e princípios, deixando o paradigma antigo para trás. É assim que você chegará realmente à transformação e resultados que tanto deseja!

Não é o fim do mundo, é o começo de uma nova era.

Bons começos. Boas transformações.

Paz e bençãos! <3

Deixe um comentário

Arquivado em Cuidar da alma, Uncategorized